A genialidade do criador da Poltrona Barcelona, um marco na história do design mundial

Intimamente associado ao estilo internacional de arquitetura moderna e ao grupo conhecido como Segunda Escola de Chicago (1940-70), Ludwig Mies van der Rohe foi um arquiteto germano-americano que, junto com Walter Gropius, Le Corbusier e Frank Lloyd Wright, é considerado uma das figuras mais importantes da arquitetura do século 20 na América. Como muitos de seus contemporâneos da pós-Primeira Guerra Mundial, Mies procurou estabelecer um novo estilo arquitetônico que pudesse representar os tempos modernos da mesma forma que o gótico e o barroco o fizeram em suas próprias épocas. 

No caso dele, criou um estilo influente de arquitetura de arranha-céus, declarado com extrema clareza e simplicidade. Para Mies, a tecnologia foi a força mais significativa que moldou este ou qualquer outro momento. Seu trabalho expressa isso, elevando os materiais da Revolução Industrial - vidro, aço e concreto armado - ao reino da arte . É frequentemente associado ao aforismo "menos é mais", referindo-se ao seu estilo modernista de minimalismo , desprovido de qualquer referência decorativa aos movimentos históricos. Mies, como Gropius, buscou conceber um estilo "moderno" de arquitetura para a era moderna: um tipo de design neutro e funcional, sem nenhum dos motivos decorativos da arquitetura (digamos) grega, gótica, renascentista ou barroca, todos considerados obsoletos. 

Exemplo disso é a escolha de Ludwig Mies van der Rohe para projetar o Pavilhão Alemão para a Exposição Industrial de Barcelona de 1929. Na obra teve êxito sua visão de um prédio moderno com fluxo espacial livre, construído com vidro, aço e três tipos de mármore.

Uma vez criado o prédio, sua mente focou em desenhar a mobília que seria usada. A exposição era uma feira mundial, um evento importante, com a presença da realeza espanhola e oficiais do governo europeu. Mies compreendia totalmente a importância da ocasião.

A inspiração para a mobília foi idealizar uma poltrona que remetesse ao conforto da realeza, tendo como das principais características a elegância monumental, algo que marcasse presença e importância, mas levando em consideração o extremo conforto e, é claro, a simplicidade da solução. Surgia a criação das icônicas Poltronas Barcelona, com um conforto diferenciado devido ao aço ser flexível ao peso do ocupante, ajustando-se e moldando-se ao corpo de quem ali estiver sentado.

O resultado de sua equação criativa, onde o menos é sempre mais, foi uma das cadeiras mais imitadas do mundo e, com certeza, também uma das mais belas e confortáveis em que você já se sentou.

Desse começo promissor as Poltronas Barcelona rapidamente se tornaram símbolo de status, ícones de design parecidos com a “Cadeira Wassily” de Marcel Breuers. Esses exemplos foram sucessos instantâneos graças à fluidez e atemporalidade do design.