"Mais do que um espaço, um estilo de vida".

Assim pode ser definida a Loft Living, ou a vida em lofts urbanos. O conceito, consagrado mundialmente por Hollywood em filmes como Ghost, Quero Ser Grande e Flashdance, é uma opção moderna e sofisticada em moradia, escolhida principalmente por jovens empresários, profissionais liberais, artistas e solteiros descolados, que buscam não apenas um imóvel, mas também um lugar versátil e com a sua cara!

Embora seja sempre muito difícil precisar o início de uma tendência arquitetônica, as primeiras versões urbanas de lofts são creditadas ao arquiteto urbanista francês Le Corbusier, na década de 1920.


Foto: Reprodução - Um exemplo de lofts nova yorkinos


Na Manhattan dos anos 50, velhos galpões, armazéns e frigoríficos localizados em áreas industriais urbanas foram reformados para servir de moradia e lugar de trabalho para artistas. Tinham como características o pé-direito duplo e planta livre, permitindo a presença de mezanino, iluminação natural e materiais rústicos, como tubulações hidráulicas e estruturas, além dos próprios tijolos e concreto aparentes.

E foi também em Nova Iorque que aconteceu a popularização dos lofts. Na década de 1970, no Soho, bairro famoso por seus moradores e frequentadores, geralmente artistas, músicos e arquitetos, que foram os responsáveis por atribuir a ideia de espaço moderno e descolado aos lofts.

Atualmente, os lofts se tornaram desejo de consumo e são extremamente valorizados. Seu conceito segue em constante evolução, incorporando novos elementos, como inovação tecnológica, sustentabilidade ambiental e acessibilidade.