Responsabilidade ambiental é uma atitude conjunta que devemos ter sobre os materiais descartáveis no ambiente.

É possível ressignificar muitas coisas que não são mais úteis e contribuir com o ecossistema. 

O criar, aliado à escolha consciente dos materiais, se tornou um propósito que direciona o trabalho de muitos designers no Brasil e no mundo.

Em tempos nos quais os recursos estão cada vez mais escassos, despoluir o olhar para aquilo que em nosso cotidiano pareça banal para dar novo significado tem sido o exercício primordial para designers e grandes empresas que, a partir da consciência ecológica, estão reinventando o mercado de design de interiores.


               

                                                                                                                                       

Recentemente lançada pela Magis italiana, a cadeira Bell, do alemão Konstantin Grcic, ilustra bem a questão. Ela emprega como matéria-prima resíduos de polipropileno recolhidos nas diversas linhas de produção da marca. O material patenteado pode ser reciclado novamente 100% após o uso. Por meio de um desenho atemporal, as cadeiras Bell são adaptáveis tanto ambientes internos quanto externos e fazem sucesso.


No Brasil, o Cobogó Mundaú, feito a partir da concha do sururu, molusco que é um patrimônio imaterial de Alagoas, exemplifica essa criação em harmonia com o planeta.




A peça, criada pelos designers Marcelo Rosenbaum e Rodrigo Ambrosio, utiliza 70% de conchas do molusco trituradas em sua composição e possui recorte vazado em formato orgânico. Sua superfície reflete o brilho furta-cor da concha, ora com predominância de verde, ora com destaque no roxo, com tons surpreendentes. Trazendo personalidade para qualquer ambiente.


                                                                         

                                                       

Outro design que surpreende é o alemão Alexander Schul, com sua luminária feita com potes de iogurte reciclados, que deram o aspecto branco marmorizado na peça. O material foi criado pela empresa britânica Smile Plastics, que comercializa plásticos reciclados em forma de painéis.

 

                                     

A gigante italiana Kartell, que foi pioneira nos anos 1990 na utilização de policarbonato transparente em mobiliário, possui uma linha de mesinhas modulares fabricadas com bioplástico. Os elementos modulares foram projetados para atender a diferentes necessidades e se encaixar perfeitamente em todos os cômodos da casa.