A tecnologia se consolidou e tudo virou post. Só uma coisa não mudou: O Padrão Copema

A última década consolidou o avanço tecnológico dos anos 2000. O mundo ganhou novas dimensões em imagens e impressões, que viraram 3D. Os aplicativos se multiplicaram e mudaram nossa forma de fazer tudo - ou quase tudo. A começar pela comunicação, que passou a ser cada vez mais instantânea.

As fronteiras também caíram ainda mais. O mundo virou uma rede. E as redes sociais, literalmente,
"bombaram". A mais conhecida delas, o Facebook, chegou a 1 bilhão de usuários em 2012. Acha muito? Cinco depois esse número já era mais do que o dobro: 2,13 bilhões... 

Com papel fundamental na vida das pessoas, as redes sociais registraram o turbilhão vivido por nosso país, que conheceu um novo significado para o substantivo "lava jato" enquanto buscava passar a limpo a política e a vida pública.


Também mostraram - e em detalhes - tudo o que aconteceu nos principais eventos esportivos mundiais que foram realizados no Brasil: a Copa do Mundo, os Jogos Olímpicos de Verão e a Copa das Confederações. Tudo virou post. Vá lá que nem sempre real, né... Aliás, taí algo que também aprendemos nos anos 2010: a não acreditar em tudo o que ouvimos! As fake news nos ensinaram isso.


Por outro lado, aprendemos que "SE FOR COPEMA, COMPRA". O slogan resumiu em poucas palavras tudo aquilo que muita gente já sabia há anos. E a frase virou bordão!


A Alta Fiúsa se consolidou como endereço de alto padrão na Zona Sul de Ribeirão Preto. Nela, a Copema assinou mais quatro obras primas nesta década: o Grand Privilège (2013), na época o mais alto edifício residencial do interior de São Paulo, com 36 pavimentos; o Promenade (2014), o L'Ermitage Reserve (2015) e o Place Vendôme (2016).