Você sabe a diferença entre chimarrão e tereré?

Embora as duas bebidas sejam preparadas com erva-mate, o preparo e o consumo delas é bem diferente.

 A primeira - e talvez maior diferença - está na temperatura. Enquanto o tereré é preparado com água gelada, ideal para o verão e clima quente, o chimarrão é feito da infusão da erva com água quente, a cerca de 70 graus, o que ajuda a aquecer o corpo no inverno.

 O recipiente também é diferente. Para o chimarrão usa-se a cuia ou porongo, já para a bebida gelada pode-se empregar a tradicional guampa (recipiente com formato de chifre de boi) ou mesmo um copo comum.

 

O tipo da erva, embora a planta seja a mesma, Ilex paraguariensis, também é diferente. Para o tereré a erva é triturada, portanto mais grossa, o que dificulta que a bomba - espécie de canudo - que se usa para tomar a bebida fique entupida. Enquanto isso o chimarrão é preparado com a erva moída, mais fina e forte.

 Bebida típica do Paraguai, onde seu consumo faz parte do dia a dia das pessoas, o tereré foi introduzido no Brasil pelos vizinhos inicialmente no Mato Grosso do Sul e de lá se espalhou por todo o país. 

Por sua vez, o chimarrão é característica da cultura do sul do continente, sendo seu consumo um hábito cultural de argentinos, uruguaios e, no Brasil, principalmente, dos gaúchos.

 

Diferenças à parte, tereré e chimarrão têm a propriedade de reunir famílias e amigos para tomar sua bebida preferida e compartilhar bons momentos juntos. E, além de toda essa carga cultural, ainda podem fazer bem a saúde, uma vez que a erva-mate possui vitaminas e sais minerais que auxiliam na digestão e possuem efeitos diuréticos, estimulantes e laxantes.

 Então, seja qual for a sua escolha: saúde!